Tramento de demencia corpos lewy

Tratamento da Demência por corpos de lewy

Como é o tratamento da Demência por Corpos de Lewy?

A Demência por Corpos de Lewy (DCL) possui um tratamento muito complexo, por diversos fatores. 

O primeiro motivo, é devido aos sintomas múltiplos que ocorrem, desde sintomas motores, como lentidão do movimento, quedas, rigidez, além dos sintomas cognitivos, cursando com demência, geralmente no início da doença e sintomas psiquiátricos, com alteração do comportamento, alucinações e distúrbio do sono.

 

O segundo e importante motivo é que uma característica da doença é a hipersensibilidade a alguns medicamentos, que normalmente são utilizados. 

Desta forma, os medicamentos podem ter efeitos exagerados e podem não ajudar ( e algumas vezes atrapalham!). De modo que o tratamento deve ser comedido e a passos curtos.

E por fim, devemos lembrar que não há um medicamento específico para a doença, capaz de impedir a progressão da doença. Assim, tratamos os sintomas à medida que aparecem.

O tratamento da Demência por Corpos de Lewy é extremamente complexo, e deve ser abordado de forma multidisciplinar, com estímulo físico, estímulos psicólogicos, ambientais e cognitivos

tratamento de Demência Lewy
Como tratar os sintomas da Demência por Corpos de Lewy?

Uma vez que o sintomas aparece, o tratamento deve abordar o sintomas especificamente, lembrando sempre de individualizar o tratamento e ajustar ao longo do tempo.

 

Sintomas motores (Lentidão do movimento, rigidez, quedas): É comum utilizarmos medicamentos semelhantes aos usados na Doença de Parkinson, como Prolopa (Levodopa/Benserazida); Pramipexol, Azilect, dentre outros. Muitos desses medicamentos podem piorar a parte psiquiátrica, piorando o comportamento ou as alucinações e, assim, muitas vezes temos que ajustar, diminuindo ou até retirando esses medicamentos.

  • Demência: Medicamentos semelhantes aos utilizados na Doença de Alzheimer podem ser úteis, como Donepezila, Rivastigmina, Galantamina e Memantina. Esses medicamentos tendem a ser úteis principalmente no início e podem ajudar no comportamento também. Como a doença progride, eles podem não ter efeito desejado em fases moderadas ou avançadas.

  • Alucinações: Devem ser tratadas quando levam a impacto ao paciente ou aos cuidadores. Os principais medicamentos utilizados são os antipsicóticos, no entanto estes medicamentos podem levar a piora de outros sintomas, devendo ser utilizados com muito cuidado e quase sempre em doses muito baixas quando realmente necessários.

  • Alteração de comportamento: O tratamento também é desafiador, pois como citado acima, o paciente pode ter uma sensibilidade muito mais alta que o normal a medicamentos que normalmente são úteis, como Quetiapina e Clozapina. Os tratamentos não-medicamentosos com Musicoterapia, Trabalhos manuais, atividades físicas podem ser muito úteis.

  • Sintomas fantasmas, como dores inexplicáveis, coceiras sem motivo, sintomas de "falta de ar", são extremamente comuns e podem acontecer cedo na doença. Geralmente se investiga inicialmente para descartar causas orgânicas. Mas comumente as investigações não revelam nenhuma anormalidade, levando a conclusão de que os sintomas tem natureza cognitiva ou psicológica. O tratamento deve ser feito da mesma forma, inicialmente com tratamento não medicamentoso, quando possível .