Toxina Botulínica

O que é toxina botulínica?

A Toxina Botulínica é uma substância utilizada no tratamento de inúmeras síndromes dolorosas, inclusive enxaqueca, cefaléia tipo tensional, dores localizadas, nevralgia do trigêmeo, neuralgia pós-herpética, bruxismo, dor miofascial e dor lombar. Além de estar indicada na espasticidade, distonias, espasmostremores e alguns movimentos anormais. A mesma substância é aplicada com fins estéticos na cosmiatria e dermatologia geral, apenas os locais e técnicas que são diferentes para cada indicação.

Ela é extraída de um tipo específico de bactéria, que passa para um processo para ter a ação esperada e diluída para ser aplicada. Por passar por processos especiais antes de ser comercializada, a substância não é capaz de causar nenhum tipo de infecção e a chance de alergia é muitíssimo baixa.

A ação dela principal é relaxar o músculo, quando aplicada diretamente no grupamento muscular e inibir o impulso doloroso, quando aplicada no tecido subcutâneo. Sua ação depende da dose, de modo que é comum ajustar as doses de acordo com o paciente e a indicação ao longo das aplicações.

O que é botox?

A marca Botox® foi a primeira surgir e foi a medicação em que foram realizados os estudos para Enxaqueca. Existem várias marcas de toxina botulínica no mercado, como Botox®, Dysport®, Xeomin®, dentre outras. Todas possuem eficácia equivalente.

Outras medicações como Dysport® são utilizadas em diluições diferentes e são muito usadas em segmentos corporais maiores, como em espasticidade após AVC e distonias, mas todas podem ser utilizadas em dores de cabeça e nas demais indicações.

A toxina botulínica é indicada para pacientes com enxaqueca ou outras cefaleias crônicas e pode ser a primeira escolha de tratamento preventivo.

A eficácia é grande e comparada a outros medicamentos via oral e quase ausência de efeitos colaterais.

Quando aplicar botox?

A toxina botulínica é indicada para pacientes com enxaqueca ou outras cefaleias crônicas e pode ser a primeira escolha de tratamento preventivo, principalmente quando há contra-indicação ou resistência do paciente ao tratamento via oral. 

A aplicação do botox em Neuralgia do Trigêmeo e Neuralgia pós-herpética e outras dores é muito eficaz. Além disso há grande uso no tratamento de Distonias e tremores cefálicos (tremores de cabeça)

O uso na espasticidade pós-AVC traz grande benefício e auxílio à reabilitação ao paciente. Em alguns casos de paralisia cerebral ou sequelas de trauma a toxina botulínica traz enorme alívio dos sintomas de dor devido a rigidez dos membros e também auxiliam na higiene e no cuidado ao paciente.

Toxina Botulínica é aplicada em pequenas doses, na região hipodérmica, ou diretamente do músculo, a depender da indicação. Pequenas equimoses, que são diminutos "roxos" nos locais da aplicação são comuns, mas em geral são muito pequenos e desaparecem após alguns dias.

Quando começa o efeito do botox?

A ação da toxina botulínica pode demorar entre 5 e 10 dias para começar, mas o auge do efeito geralmente é sentido após 14 dias da aplicação.

Quanto tempo dura a ação do botox?

O efeito da toxina tende a durar cerca de 3 meses. Este efeito pode ser maior a depender da área em que foi aplicada ou da indicação.  

Após esse período, a substância deve ser reaplicada, a depender da resposta, de efeitos adversos e da manutenção da indicação.

Quais os riscos e efeitos colaterais do botox?

Os efeitos adversos geralmente são mínimos, como fraqueza no músculo aplicado, pequenos roxos no local e em casos muito raros, alguma reação alérgica. A depender do músculo em que se aplica, são utilizados agulhas muito pequenas, de modo que não é necessário aplicação de anestesia e a dor na aplicação é pequena.

O grande problema é quando o botox é realizado por quem não teve formação para isso.

Indicações como cefaleia, espasticidade, distonia, espasmos, devem ser realizados por um médico treinado, em geral, o neurologista!

O melhor procedimento, no entanto, é aquele realizado no momento certo e com a indicação precisa e individualizada. Os procedimentos minimamente invasivos representam um das etapas do programa de reabilitação do paciente, mas não a única. O tratamento tem que ser discutido com o especialista e a escolha da melhor opção tem que ser compartilhada entre médico e paciente.

Vale a pena fazer botox?

No fim, essa é principal questão.

A toxina botulínica é uma grande arma no arsenal contra diferentes problemas, desde dores de cabeça a contrações musculares. Mas, assim como outros tratamentos, não é infalível e não deve ser colocado como uma cura milagrosa para o problema. 

O mais importante é o acompanhamento e seguimento com o médico neurologista, para que seja possível discutir a melhor alternativa em cada situação.

Devemos lembrar, que o melhor procedimento, é aquele realizado no momento certo e com a indicação precisa e individualizada. Os procedimentos minimamente invasivos representam um das etapas do programa de reabilitação do paciente, mas não a única.

O tratamento tem que ser discutido com o especialista e a escolha da melhor opção tem que ser compartilhada entre médico e paciente.

© 2020 Dr. Gustavo L. Franklin - 

Avenida Sete de Setembro 4923, Salas 301/302 - Batel Curitiba/PR       Tel: (41) 98717-4780

Neurologia
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon