Miastenia Gravis

A Miastenia Gravis é uma doença auto-imune, em que anticorpos do próprio indivíduo "atacam" os receptores de acetilcolina presente nos músculos. Com essa ação, a pessoa tende a sentir fraqueza muscular, que pode ser localizada mais nos olhos (forma ocular) ou então no corpo todo ( forma sistêmica).

Muito comumente o início da doença é percebido com um olho caído, visão dupla ou início de fadiga e cansaço acentuado.

Diagnóstico da Miastenia

O diagnóstico da Miastenia geralmente é realizado através de uma avaliação médica com neurologista, associado à realização de alguns exames, dentre eles os principais são:

Eletroneuromiografia

Este é um exame em que são feitos pequenos choques para avaliar a condução do nervo até o músculo. O ideal é que seja feito TER ( Teste de Estimulação Repetitiva), por fibra única.

Anticorpos Anti-receptor de acetilcolina

Exame realizado através da coleta de sangue simples.

Medicamentos que devem
ser evitados na Miastenia

Alguns medicamentos que devem ser evitados nos pacientes com Miastenia Gravis, devido a risco de piorar os sintomas da doença. Os principais medicamentos a serem evitados, são esses:

  • Antibióticos:

    • com risco: aminoglicosídeos, tetracilina, lincomicina, clindamicina, bacitracina, polimixinas.

    • duvidosos: ampicilina, eritromicina, sulfamidas.

    • sem risco: penicilina, cloranfenicol, cancomicina, cefalosporinas.

  • Anticolinérgicos ( amitriptilina, baclofeno)

  • Anti-histamínicos (medicamentos para alergia)

  • Relaxantes musculares maiores: pancurônio, succinilcolina, d-turbocurarina.

  • Relaxantes musculares menores: benzodiazepínicos, baclofen, dantrolene, meprobamato.

  • Cardiovasculares: procainamida, quinidina, lidocaína (principalmente via sistêmica), guanetidina, trimetafan, betabloqueadores, reserpina, sulfato de magnésio, antagonistas do cálcio.

  • Anticonvulsivantes: hidantoínas,benzodiazepínicos, barbitúricos, etossuximida.

  • Psicotrópicos: benziodiazepínicos, antidepressivos tricíclicos, carbonato de lítio, inibidores da MAO, neurolépticos (fenotiazinas e butirofenonas).

  • Analgésicos: morfina, dipirona

  • Laxantes e enemas: diminuem a absorção de anticolinesterásicos e depletam potássio. Alguns possuem magnésio em sua composição.

  • Imunizações: Algumas vacinas e soro antitetânico

  • Outros: amantadina,  antiácidos contendo magnésio, quinolonas - levofloxacino (diversos pacientes relataram fraqueza muito acentuada), contrastes iodados.

O ideal é manter essa relação de medicamentos sempre com você. No caso de uma emergência, esta lista pode ser muito importante.

Tratamento da Miastenia
O tratamento da Miastenia é feito com uso de medicamentos específicos que visam diminuir a ação dos anticorpos, como Corticóides (prednisona), medicamentos inibidores da colinesterase, como o Mestinon (piridostigmina), além de imunossupressores, como azatiopirina, ciclofosfamida, ciclosporina.
Como existem diversas fases e tipos da doença o tratamento tem que ser muito individualizado, com acompanhamento adequado junto ao neurologista.

© 2020 Dr. Gustavo L. Franklin - 

Avenida Sete de Setembro 4848, 9° Andar - Batel Curitiba/PR       Tel: (41) 98717-4780

Neurologia
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon