neurologia curitiba

Miastenia Gravis

A Miastenia Gravis é uma doença auto-imune, em que anticorpos do próprio indivíduo "atacam" os receptores de acetilcolina presente nos músculos. Com essa ação, a pessoa tende a sentir fraqueza muscular, que pode ser localizada mais nos olhos (forma ocular) ou então no corpo todo ( forma sistêmica).

Muito comumente o início da doença é percebido com um olho caído, visão dupla ou início de fadiga e cansaço acentuado.

Diagnóstico da Miastenia

O diagnóstico da Miastenia geralmente é realizado através de uma avaliação médica com neurologista, associado à realização de alguns exames, dentre eles os principais são:

Eletroneuromiografia

Este é um exame em que são feitos pequenos choques para avaliar a condução do nervo até o músculo. O ideal é que seja feito TER ( Teste de Estimulação Repetitiva), por fibra única.

Anticorpos Anti-receptor de acetilcolina

Exame realizado através da coleta de sangue simples.

neurologista especialista em miastenia
Medicamentos que devem
ser evitados na Miastenia

Alguns medicamentos que devem ser evitados nos pacientes com Miastenia Gravis, devido a risco de piorar os sintomas da doença. Os principais medicamentos a serem evitados, são esses:

  • Antibióticos:

    • com risco: aminoglicosídeos, tetracilina, lincomicina, clindamicina, bacitracina, polimixinas.

    • duvidosos: ampicilina, eritromicina, sulfamidas.

    • sem risco: penicilina, cloranfenicol, cancomicina, cefalosporinas.

  • Anticolinérgicos ( amitriptilina, baclofeno)

  • Anti-histamínicos (medicamentos para alergia)

  • Relaxantes musculares maiores: pancurônio, succinilcolina, d-turbocurarina.

  • Relaxantes musculares menores: benzodiazepínicos, baclofen, dantrolene, meprobamato.

  • Cardiovasculares: procainamida, quinidina, lidocaína (principalmente via sistêmica), guanetidina, trimetafan, betabloqueadores, reserpina, sulfato de magnésio, antagonistas do cálcio.

  • Anticonvulsivantes: hidantoínas,benzodiazepínicos, barbitúricos, etossuximida.

  • Psicotrópicos: benziodiazepínicos, antidepressivos tricíclicos, carbonato de lítio, inibidores da MAO, neurolépticos (fenotiazinas e butirofenonas).

  • Analgésicos: morfina, dipirona

  • Laxantes e enemas: diminuem a absorção de anticolinesterásicos e depletam potássio. Alguns possuem magnésio em sua composição.

  • Imunizações: Algumas vacinas e soro antitetânico

  • Outros: amantadina,  antiácidos contendo magnésio, quinolonas - levofloxacino (diversos pacientes relataram fraqueza muito acentuada), contrastes iodados.

O ideal é manter essa relação de medicamentos sempre com você. No caso de uma emergência, esta lista pode ser muito importante.

Tratamento da Miastenia
O tratamento da Miastenia é feito com uso de medicamentos específicos que visam diminuir a ação dos anticorpos, como Corticóides (prednisona), medicamentos inibidores da colinesterase, como o Mestinon (piridostigmina), além de imunossupressores, como azatiopirina, ciclofosfamida, ciclosporina.
Como existem diversas fases e tipos da doença o tratamento tem que ser muito individualizado, com acompanhamento adequado junto ao neurologista.