AVC (Acidente Vascular Cerebral)

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame cerebral, é uma condição súbita, que geralmente ocorre na forma de perda de força em um membro, perda de consciência, ou então um episódio de confusão mental súbito.

 

Há dois tipos de AVC, o tipo isquêmico, que é quando o fluxo sanguíneo do cérebro é interrompido devido a obstrução de uma artéria, e um tipo hemorrágico, quando o fluxo sanguíneo é alterado pela presença de um sangramento cerebral. 

  

O AVC isquêmico pode ser causado por diversos fatores, como hipertensão arterial, diabetes, colesterol, tabagismo, disfunções cardíacas, dentre outras. Quando combinados alguns desses fatores, a chance de ter um AVC aumenta muito. 

AVC hemorrágico acontece geralmente associado a hipertensão arterial não controlada, aneurismas, ou então quando há um enfraquecimento dos vasos, associado a angiopatia amilóide, uma condição presente em pessoas mais idosas.

Após ter um AVC é muito importante investigar a verdadeira causa do evento para que se possa evitar adequadamente um novo AVC. Isso pois, não é porque teve um que não se possa ter de novo um evento! Daí a importância de ter um acompanhamento adequado com o neurologista.

​Após ter tido um AVC, o trabalho de reabilitação com fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia, nutricionista são muito importantes para minimizar as sequelas e fazer o paciente retomar suas funções e atividades diárias o mais rapidamente possível.

 

O uso de toxina botulínica pelo neurologista vem crescendo, com o objetivo de diminuir sequelas como espasticidade, com grandes resultados. Sua utilização deve ser avaliada, no intuito de melhora a função do membro e sua utilidade.

Como evitar outro AVC

Isso é o mais importante!

A chamada prevenção secundária consiste em tratar as causas de um AVC após ter tido um primeiro evento, de modo a evitar que ocorra novamente!

Quando identificada a causa, como arritmias, distúrbios cardíacos, obstruções em artérias cervicais, dentre muitas outras. 

 

O trabalho de prevenção secundária e de investigação da causa do AVC deve ser realizado com o médico especialista, de preferência, o neurologista.

 

Além disso, o controle dos fatores de risco, como hipertensão arterial, diabete, obesidade, dislipidemia (alteração do colesterol e triglicerídeos), sendentarismo e tabagismo, quando houver, é de fundamental importância.

Este deve ser um trabalho conjunto, com o médico da família, o clínico geral, geriatra e o neurologista. 

© 2020 Dr. Gustavo L. Franklin - 

Avenida Sete de Setembro 4848, 9° Andar - Batel Curitiba/PR       Tel: (41) 98717-4780

Neurologia
  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon